sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

PRF ativa radar móvel e deixa motoristas em alerta

Uma vez o veículo detectado, a imagem é processada com a hora, data, local, velocidade em que o veículo trafegava, contendo ainda a velocidade limitada

Quem costuma pisar fundo no acelerador sem nenhum receio terá mais um motivo para se preocupar de agora em diante. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Dourados já começou a utilizar o radar móvel para coibir os motoristas apressados. Com a capacidade de armazenar cinco mil imagens e detectar mais de um veículo por segundo, o radar fotográfico da PRF, quando flagra o veículo com a velocidade acima da máxima permitida para aquele local, dispara automaticamente, sem intervenção manual do operador.
De acordo com o inspetor da PRF em Dourados, Ozanan Catelan, uma vez o veículo detectado, a imagem é processada com a hora, data, local, velocidade em que o veículo trafegava, contendo ainda a velocidade limitada. Feito isso os agentes fazem o auto de infração e encaminham ao Departamento de Trânsito (Detran).

Em todo o país os radares móveis começaram a funcionar no final do ano passado. Até então, a utilização desses equipamentos necessitavam de um estudo técnico emitido pelos engenheiros do DNIT- Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. Após nova portaria, podem ser instalados em qualquer trecho das rodovias federais. Mato Grosso do Sul tem uma extensão rodoviária federal de 3.409 Km. O estudo técnico não contemplava toda a malha viária federal, portanto, nesses locais não era possível a utilização dos radares móveis. Agora já pode ser utilizado.

Fiscalização

Na região de Dourados a PRF irá atuar com rigor nas BRs 163 e 463. Ontem por exemplo, os policiais estavam próximo ao posto da Capela, entre Dourados e Caarapó. Segundo Catelan, essa rodovia é uma das que mais registram acidentes em decorrência da alta velocidade. Outro trecho bastante crítico, segundo ele, fica localizado na região do distrito de Vila São Pedro (BR-163) em Dourados.

“São pontos considerados críticos na região de Dourados. Com isso o radar irá operar de forma itinerante, fazendo com que múltiplos pontos da rodovia sejam fiscalizados”, disse Ozanan Catelan. Ele explica que o objetivo é alcançar uma redução da velocidade praticada acima do limite e, consequentemente, uma redução do número de vítimas de acidentes de trânsito.

Multa

As infrações serão aplicadas de acordo com a velocidade do condutor. As multas estão divididas, segundo Catelan, em três categorias: media - até 20% da velocidade máxima permitida (R$ 85,13 e 4 pontos na C.N.H.); grave - de 20% a 50% da velocidade máxima permitida (R$ 127,69 e 5 pontos na CNH); e gravíssima - acima de 50% da velocidade máxima permitida (R$ 574,56 e 7 pontos na CNH).

Com isso os condutores devem estar atentos a velocidade das rodovias. Na BR-163, por exemplo, a velocidade máxima permitida pela placa R-19, que regulamenta o limite máximo de velocidade a partir do ponto onde o sinal é colocado, é de 100 km por hora. Já na BR-463 é de 80km por hora, segundo Catelan.

Ele diz que os condutores devem estar atentos às placas R-19. Num raio máximo de dois quilômetros delas a PRF poderá instalar os equipamentos. Com isso valerá a velocidade máxima permitida daquele trecho. Fora daquela área, segundo o inspetor, valerá a velocidade máxima do Código de Trânsito: veículos de passeio 110km por hora e veículos grandes 90 km por hora.
Fonte:www.interjornal.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes